Alexandre Praetzel

Compartilhe 55
Imprimir Comunicar erro

Neymar, como sempre, é o centro das atenções na Seleção Brasileira. Foi assim, em 2014, e agora, em 2018. Obviamente, porque é o melhor jogador do elenco e capaz de levar o Brasil à conquista da Copa do Mundo. Foi regular contra a Suiça, bem diante da Costa Rica e muito bem na vitória sobre a Sérvia. Cresceu na terceira rodada, como previam alguns treinadores e preparadores físicos.

No confronto perante o México, foi um dos destaques, sem dúvida. Dei nota 8 para ele. Chamou o jogo, se movimentou, abriu espaços e marcou um gol. Foi alvo dos mexicanos, mas não foi caçado, como alguns interpretaram e até xingaram Layún, que pisou em Neymar. Neste lance, Neymar exagerou no rolamento e reação no gramado, mas ele foi pisado. O tamanho da dor, só Neymar sentiu. A espetacularização do lance foi consequência de uma provocação e também do jogo, em si. Não foi simulação. Já vimos inúmeros jogadores fazerem o mesmo. Está no DNA do sul-americano. Na Europa, parece ofensa, pela cultura de anos. O correto ali era o cartão vermelho para Layún e a sequência da partida.

Neymar jogou bola. Não fez gestos provocativos, nem firulas ou dribles ''desnecessários''. Foi para cima dos marcadores e serviu os companheiros.

Eu acho irritante, quando ele esquece a bola para diminuir e irritar os adversários, com lances abusados, quando está ganhando de goleada. Isso realmente pode ser encarado como desrespeito. No mais, não vi nada de errado dentro de campo, até aqui.

O que deixa torcedores e adeptos das redes sociais irritados, são as constantes reclamações que ele posta, com um exército de ''amigos'' e alguns baba-ovos, como se o mundo estivesse contra ele. Caras como ele, com a repercussão que causam, são amados ou odiados, e precisam saber conviver com a pressão, como profissionais que são. Acho que ele seria idolatrado no Brasil, se fosse mais transparente nas suas atitudes. O resto, ele resolve na bola, porque o talento é inesgotável.

Eu o avalio pelo desempenho. E, no momento, ele está jogando bem e pode ser destaque da Copa, faltando três partidas. A fixação em ser melhor do mundo pode atrapalhá-lo, mas que ele tem condições para isso, não há dúvidas.

Fora de campo, nada me interessa. Sobre cabelos, roupas, carros e dinheiro, isso é problema dele. E isso causa inveja de muito ser humano. Vamos separar as coisas.

comentários 9

  • Todos
  • Mais curtidos
  • Escolha do editor
  1. tony sumar�

    3 meses atrás

    Praetzel ....um dos melhores jornalistas esportivos do Brasil ....

    Compartilhe:

    Ao comentar você concorda com os termos de uso

  2. é tudo igual

    3 meses atrás

    Silvinho pediu para neymar continuar simulando dor quando o mexicano deu um pisaozinho nele. Tite fingiu que não viu e a imprensa protetora do pulapula prefere fingir que acredita que ele é caçado

    Compartilhe:

    Ao comentar você concorda com os termos de uso

  3. pcrodr

    3 meses atrás

    Concordo. Mas, até agora, duas copas do mundo, e só deu as caras contra galinha-morta, e mesmo assim, quando a coisa está complicada e pegada, CADÊ NEYMAR, NEYMAR CADÊ, ACHO QUE ELE O GABRIEL JESUS, ESTAVAM NO ANIVERSÁRIO DA MARINA RUY BARBOSA NO RIO, COM A MARQUEZINE, PORQUE, NA RÚSSIA, AINDA NÃO CHEGARAM, TOMARA QUE CHEGUEM ANTES DE 17 DE JULHO, SE DURARMOS ATÉ LÁ...!!!?

    Compartilhe:

    Ao comentar você concorda com os termos de uso

  4. Patrick Sodré

    3 meses atrás

    “Falando de forma categórica. Tivemos algum lance deslealdade do Corinthians? O Emerson foi expulso na Libertadores, pois ele deu um carrinho imprudente, aí o Neymar caiu. Quando ele foi expulso, Neymar se levantou e... estava bom... Houve alguma coisa errada. Perder ou ganhar é do jogo. Simular situação, levar vantagem...isso é mau exemplo para o garoto, para quem está crescendo, para o meu filho, levar vantagem nas coisas...”, reclamou Tite... Tite tem inveja do Neymar???? Se a seleção é um símbolo, não pode se valer de maus exemplos. Muito me incomoda, num momento em que pedimos por ética na política, termos que aceitar um comportamento como o do Neymar em campo.

    Compartilhe:

    Ao comentar você concorda com os termos de uso

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso